Contratar familiar é um bom negócio? A negociação na empresa com o empregado parente

Qualquer negócio sempre passa por processos rotineiros ou não de negociação. Eles acontecem tanto com terceiros como internamente na empresa. Quando um membro da família é a outra parte e está fazendo frente ao empresário, os comportamentos e atitudes no ambiente de família influenciam a negociação dando vantagem a uma das partes e deixando a outra parte com a necessidade de contrabalançar a desvantagem durante a negociação. Isso vale tanto quando o familiar é empregado como quando ele é um sócio na firma.

Enfim, uma das partes leva vantagem na negociação, mas ambos podem ter a sua relação familiar afetada pela forma como a negociação foi conduzida. A relação familiar afetada realimenta o desgaste da relação interpessoal e esse círculo vicioso irá desgastar a relação até um eventual ponto de ruptura. Nos atritos, a paixão de cada um pela sua opinião quase sempre é tomada pelo lado pessoal, e não pelo melhor para a empresa no ponto de vista do empresário.

Não é difícil ver familiares empregados dando demonstração de emoções e sentimentos no trabalho em situações difíceis. O choro é mais comum entre as mulheres enquanto que a violência física é entre os homens. Mas, se você chegou nessa situação de ter que negociar algo do trabalho com um familiar empregado e for uma questão delicada, o melhor é ter isso estabelecido antes em manual de procedimentos internos.

Se não tem um, é hora de pensar desde já e começar a fazer.

Próximo: Como despedir um parente

One thought to “Contratar familiar é um bom negócio? A negociação na empresa com o empregado parente”