Contratar familiar é um bom negócio? Nepotismo ou confiança

Quando se está querendo tirar a empresa da crise pode passar pela mente do empresário contratar um familiar, afinal quem poderia ser mais confiável do que um parente. Antes de fazer isso, alguns aspectos devem ser levados em consideração.

Nunca um parente será igual a qualquer funcionário. Desde a contratação do parente até a demissão, sempre questões emocionais estarão envolvidas e, sem dúvida, qualquer problema na família será um problema na empresa e vice-versa.

Sugerimos que você medite sobre cada um dos argumentos que são um bom indicativo sobre o porque não misturar negócios com parentes, especialmente quando se fala em contratar um familiar.

Quer algo pior do que renunciar a um bom empregado para contratar um familiar ou um amigo? É um tipo de nepotismo que não é aceitável em uma empresa. Se não é bom para a empresa, é melhor não contratar.

Por outro lado, a situação pior é a de contratar um familiar que é super capacitado para uma função. O problema é que o domínio será tão evidente que a liderança do empreendedor poderá ficar comprometida. E, por ser muito melhor, receberá mais carga de trabalho e você o induzirá a ficar sobrecarregado e terá um empregado insatisfeito.

Sempre haverá algum parente pedindo para contratar alguém da família. A melhor solução para isso é explicar que, por causa dos auditores, você é obrigado a ter a aprovação do currículo do candidato junto com anotações a entrevista para eles avaliarem. Não importa se você realmente tem auditores, mas é uma justificativa aceitável até mesmo porque dá a sensação que seu negócio é altamente profissionalizado e que está dando uma chance para o seu parente. Você pode até dizer que no seu ramo de negócio isso é essencial, ou então que precisa de 3 anos de empresa auditada para avançar no crescimento do negócio.

Próximo: O contrato de trabalho com parente

One thought to “Contratar familiar é um bom negócio? Nepotismo ou confiança”