Dez erros ao abrir um negócio e como evitar falhar por eles

O tempo de recolocação no mercado de trabalho sempre é e sempre será uma das maiores preocupações de quem busca voltar para a vida. Entretanto, muitas dicas profissionais apontam para a necessidade de se requalificar, ou seja, buscar treinamentos.

Pode ser uma boa opção buscar se diferenciar mostrando que durante o período desde o último emprego você não ficou parado. Mas, uma análise geral pode indicar que o prazo entre o último emprego e o próximo pode até ultrapassar um ano. Então o que fazer, além de melhorar a qualificação para as próximas entrevistas? Não é simplesmente ficar esperando por vagas de emprego – é muito mais que isso.

São mais de 13 milhões de desempregados competindo por bons empregos e isso não vai melhorar rapidamente, não importa qual seja o governo. Você tem que agir. E você pode ter seu negócio de sucesso se evitar os erros mais graves. Veja isso:

1)Abrir o negócio por falta de opção

A primeira coisa que a maioria das pessoas faz quando percebe que não será fácil conseguir um novo emprego é pensar em abrir algum negócio próprio para obter sustento até conseguir um emprego. Esse raciocínio é muito lógico, mas não é exatamente o melhor caminho.

Se compararmos os empreendedores brasileiros com os dos Estados Unidos, o que se nota é que lá se abre negócios por oportunidades interessantes. Aqui, no Brasil, se abre por falta de oportunidade. Essa situação acaba levando ao fracasso especialmente porque o nosso novo empresário não se preparou para abrir o negócio.

Esse erro pode ser contornado se você buscar treinamento para abrir um novo negócio. No Brasil, o SEBRAE oferece inúmeros treinamentos para isso, também. Entretanto, o que não fica claro, mesmo em serviços existentes há décadas, é porque 6 em cada 10 empresas novas fecham em menos de 5 anos.

No Vale do Silício, nos Estados Unidos, está a maior concentração de novas empresas do mundo – são chamadas startups. Essas empresas são abertas a partir de oportunidades de negócio que são visualizadas por jovens, normalmente, e que chegam a valer centenas de milhares de dólares, algumas passam de 1 milhão de dólares de valor do negócio. A NewisCool usa a mesma técnica que essas empresas usam lá, vale a pena conhecer, clique aqui.

2)Abrir o negócio sem preparo pessoal

Não se trata apenas de ter aberto o negócio por falta de opção mas, também, por falta preparo para essa nova atividade. A Newis Cool oferece isso a baixo custo por ser capacitação a distância usando métodos atuais e modernos que são os mesmos que fizeram muitos jovens, até mesmo antes dos 20 anos terem sucesso rapidamente, principalmente nos Estados Unidos, onde o mercado de novos empreendedores não é tão fácil como se imagina. Ao contrário, lá há muito mais dificuldade em abrir novos negócios de sucesso, a diferença está em que os novatos aprendem antes e durante o processo de abrir a nova empresa.

Pense abrir seu negócio em casa e vá se preparando enquanto vai analisando o negócio e testando a cada passo.

3)Abrir o negócio pensando só no lucro

Lógico que um dos pilares da sustentabilidade é ter lucro. Mas nenhuma empresa pode olhar só o lucro como seu objetivo porque os clientes percebem isso. Os clientes querem que as empresas ofereçam “valor”. Veja isso por você mesmo: ao comprar arroz, se você não quer algum arroz especial e raro, vai comprar o tipo padrão comum. A única diferença é o preço e você vai querer o mais barato porque todos são iguais. A coisa que faria você preferir comprar em um lugar que cobre um pouco a mais é o valor agregado por essa loja, que pode ser, por exemplo, parcelar a compra no cartão de crédito em mais vezes. Isso é um serviço que agregou valor a uma coisa que é igual em todos lugares.

A mesma coisa acontece quando se pensa em ir a um Shopping. Se você quer economizar e ir a um que tenha atividades para todos, desde os filhos até a sogrinha, você está escolhendo buscando o valor adicional que o Shopping oferece. Senão você iria gastar mais para ter os mesmos serviços indo a vários lugares e todos ficariam cansados porque passaram algum tempo para cada lugar que não for do seu interesse.

O “valor” entregue ao cliente é o que faz sua empresa gerar lucro porque as pessoas estão dispostas a gastar mais para ter algo que tenha benefícios e isso é o que gera o lucro. O grande erro está em olhar um negócio para abrir sem analisar qual é o valor entregue ao cliente que fez aquele negócio prosperar. O lucro imediato não é a solução se ele não for permanente.

Para resolver esse problema, você deve analisar o “valor” entregue ao cliente e se esse valor é que faz o negócio ser próspero e permanente.

4)Abrir o negócio sem escalabilidade

Escalabilidade é a capacidade que um negócio tem de crescer rapidamente e com pouco esforço para criar estrutura. Um exemplo disso é o aplicativo de celulares que pode ser a base de um negócio. O aplicativo pode se tornar popular rapidamente sem que você tenha que investir mais dinheiro em desenvolvimento, ele tem a capacidade de atender mais clientes sem esforço de tempo e dinheiro. Mas, o negócio também tem que ter essa capacidade. Suponha que seu negócio seja uma pizzaria, a sua capacidade de crescimento só seria possível se você conseguir produzir mais com pouco investimento em tempo e dinheiro – a escalabilidade só seria viável se você tiver capacidade de ampliar a produção rapidamente. Nesse caso, não é um negócio escalável pois depende de aumentar os fornos e contratar mais empregados. Mas, se você fizer a produção, desde o início, acontecer de forma mecanizada, talvez usando uma máquina, a produção pode crescer usando os mesmos recursos ou com pouco investimento adicional. Mas, para chegar nisso, sua pizzaria deve oferecer algum valor real para os clientes que gere essa demanda por mais pizzas. Veja o caso da pizza Hut, ela tem um processo industrial de pizzas e para o público que gosta desse tipo de pizza, ela tem valor agregado- talvez seja o valor de ser exatamente igual toda vez que ela é entregue.

Logico que se você for abrir seu negócio em casa inicialmente, nem tudo vai ser escalável. Mas, por estar em um ambiente seguro dá para pensar em como seria quando você realmente iniciar o negócio.

5)Abrir o negócio sem testar antes

A melhor forma de saber se o negócio tem futuro é testar antes. E isso pode ser feito, na maioria dos casos, se você começar a trabalhar em casa. Ao fazer isso, você escolhe um teste de um serviço ou produto que você pode verificar antes de abrir o negócio. Não é necessário abrir uma empresa para testar uma ideia. Existem roteiros para testar negócios que evitam o prejuízo de só descobrir que não é uma ideia tão boa depois de ter investido muito tempo e dinheiro.

6)Abrir o negócio em um ramo desconhecido

Não é possível abrir negócio em algo que você não entende do assunto. Mesmo assim, acontece que muitas pessoas tentam achando que é simples. Se fosse simples e o negócio é bom, muita gente já estaria estabelecida nessa atividade. A sua chance de sucesso em algo que você já atua é muito maior porque você já é especialista nisso.

A forma de contornar esse problema é buscar um negócio que tenha relação com o que você já trabalhou ou estudou. O melhor é que seja aquilo que as pessoas sabem que você é bom.

7)Abrir o negócio sem usar administração

Você não precisa ser administrador formado e nem conhecer administração para abrir um novo negócio. Se o negócio for bom, o seu próximo passo será contratar um administrador para fazer o negócio funcionar. Aí está a diferença entre o empresário e o empreendedor: o empresário sabe fazer um negócio que já existe funcionar bem porque usa a administração como técnica, é uma ferramenta. Por outro lado, o empreendedor sabe criar e tem o funcionamento do negócio dentro de si, ele não precisa saber tudo de administração, ele precisa estar com outras competências e habilidades que o empresário não usa necessariamente.

Contorne esse problema contratando um administrador ou alguém que já tenha experiência no que é necessário para fazer sua empresa funcionar. Não queira fazer tudo sozinho e tente sempre ter tempo livre para poder melhorar o negócio do ponto de vista do cliente.

8)Abrir o negócio acreditando em sonhos e não na realidade

Todo empreendedor é um sonhador, isso é uma realidade. Mas, se você ainda não é um empreendedor existe uma grande chance de estar sonhando que vai dar certo só porque você acredita nisso. Essa é a melhor forma de fracassar.

Para ter sucesso em um sonho é necessário ver o quanto isso é viável no mundo real, verídico e verdadeiro. Para isso, é necessário analisar muito o negócio, testar qual a melhor forma de concretizar e fazer ele ser próspero. Você deve começar a busca pela realidade reservando uma quantidade de horas e um horário fixo para trabalhar no seu negócio em casa. Reserve, por exemplo, todo sábado das 8 as 12 horas para ficar fechado em um cômodo da sua casa para trabalhar no seu negócio.

9)Abrir o negócio com o sócio errado

Socorro! Tenho um sócio. Isso já foi até título de livro e é uma grande verdade. Se você escolher começar seu negócio com um sócio a chance de fracasso é muito alta se não considerou antes que o sócio serve para completar alguma deficiência sua ou para fazer seu negócio ser muito mais forte do que seria sem ele. Se não cumprir essas duas observações, seu sócio será um problema porque simpatia e amizade não fazem sucesso de nenhum negócio, servem só para ter alguém nas suas relações sociais.

Escolha seu sócio depois de ter certeza que ele irá agregar, somar e melhorar a chance de sucesso do negócio.

10)Abrir o negócio sem apoio da família

Mesmo sendo administrador faz 35 anos, tendo dado aulas nas faculdades mais reconhecidas da América Latina, poucas vezes eu vi nos cursos de administração a questão de família ser lembrada a não ser quando se fala na sucessão das empresas, que acontece quando o fundador morre.

Fiz muitas consultorias e cheguei a conclusão que o apoio da família é fundamental par ao sucesso de qualquer negócio, especialmente quando é um novo negócio.

Você deve chamar todos da sua família para participar e opinar desde o início. Mas, não estou falando de tios, primos, sobrinhos, avós. Estou falando daqueles que vivem sob o mesmo teto que você – ou seja, o núcleo familiar que irá compartilhar com você as alegrias e tristezas do dia a dia. A esposa e filhos são fundamentais nesse processo. Eles devem começar juntos com você ouvindo suas tentativas e argumentos – são os maiores interessados no seu sucesso por que se você está buscando uma solução para a dificuldade financeira, eles querem seu sucesso e não serão bonzinhos em falar que é uma ótima ideia sem acreditar nisso. Por isso, quando você testar seu negócio, escolher o sócio, investir o pouco dinheiro disponível, gastar horas no trabalho que você criou, eles vão entender que são os passos para o sucesso e não um abandono da família. Não deixe seu novo negócio se transformar na causa de frustrações e até em um divórcio – seu objetivo não é esse.

Saiba mais ao conhecer a proposta de começar seu negócio passo-a-passo, enquanto aprende empreendedorismo. Saiba mais clicando aquihttps://youtu.be/VlDAFsAK5IM.